Crochê, artesanato terapêutico! 

Me chamo Ana e hoje vou contar como iniciei minha história com o crochê, era destino?

Uma herança de família

Tudo começou com uma faxina em casa, onde encontrei uma touca de crochê que minha vó havia me ensinado fazer

Resgate da técnica

Senti muita saudade, lembrei o quanto eu era boa nisso e isso me motivou a voltar a fazer crochê! Porém já não lembrava mais...

mas por onde começar?

Apesar de empolgada, eu estava insegura de não lembrar a técnica, de ficar feio ou acabar perdendo muito tempo

Encurtando o caminho!

Logo percebi que a melhor alternativa era fazer um treinamento, objetivo e que me auxiliasse nessa jornada!

do básico a primeira peça pronta!

A escolha foi certeira, em pouco tempo e com pouco investimento, eu estava relembrando tudo e colocando a mão na massa!

aprimorando a técnica

Depois da primeira peça pronta, fiquei ainda mais empolgada e comecei a treinar e fazer peças mais complexas

Bolsas de crochê

Depois de alguns dias de treino e de trabalho, finalizei minhas primeiras bolsas de crochê, todo mundo amou!

Redes Sociais

Motivada pelas amigas, criei um perfil no Instagram, onde comecei a postar vídeos das minhas criações

A primeira venda

No começo eu fazia somente por prazer, adoro ficar horas fazendo crochê, mas quando saiu a primeira venda, confesso que fiquei bem feliz!

terapia lucrativa

Mais vendas e encomendas vieram depois dessa, mas ainda tenho muito prazer em fazer cada projeto, é muito satisfatório!

Artesã de sucesso

Hoje  o crochê é meu hobby e também uma fonte de renda, tenho muitos pedidos e muita gente me conhece pela Ana dos crochês ( eu amo!)